You are currently viewing <strong>Não confie em tudo que você pensa!</strong>

Não confie em tudo que você pensa!

Você já passou por algum momento que começou a ter uma série de pensamentos “negativos” sobre uma situação?

Que você ficava sendo bombardeado por pensamentos que faziam você se sentir mal e ficava remoendo esses pensamentos e isso fez com que você tivesse emoções desagradáveis, como ansiedade, tristeza, raiva?

E se eu te disser que talvez você possa ter enxergado a situação de uma forma pior do que ela realmente é?


A importância de analisar nossos pensamentos.

Um dos grandes pilares da TCC é a análise dos pensamentos, as vezes os pensamentos que temos sobre uma situação são mais importantes do que a situação em si e muitos dos sofrimentos que temos durante nossa vida são causados por pensamentos que nós tomamos como 100% reais, mas em alguns casos esses pensamentos são equivocados, ou como chamamos na TCC, pensamentos disfuncionais.

Mas o que são esses pensamentos disfuncionais você pode estar perguntando.

Primeiro precisamos entender o que geram esses pensamentos.

Então vamos, lá, primeiro nós temos uma situação que aconteceu em um dia ou momento específico, essa situação vai gerar um pensamento, esse pensamento é o que chamamos de pensamento automático, ou seja, um pensamento que não temos controle, que simplesmente aparece em nossa mente.

Dependendo da situação e de como interpretamos ela, esse pensamento pode ser funcional, ou seja, enxergamos a situação como ela realmente é, ou um pensamento disfuncional, ou seja, nossa mente começa a criar uma série de hipóteses sobre aquela situação, como se fosse uma história e é aí que as coisas complicam, porque quando temos esses pensamentos disfuncionais começamos a nos sentir mal, seja por ansiedade, tristeza, angustia, raiva ou outra questão.

Vamos lá, vou dar um exemplo para ficar mais fácil, algo que acontece com muita gente com muita frequência.

Vamos supor que você envia uma mensagem no WhatsApp para alguém, seja um amigo ou amiga, ou namorado ou namorada e ele ou ela demora pra visualizar e responder, que tipo de pensamento automático e disfuncional você pode ter diante dessa situação?

Que a pessoa não quer falar com você?

Que a pessoa está chateada ou brava com você?

Ou até mesmo algum pensamento do tipo, será que aconteceu algo com a pessoa, será que ela passou mal, ou algo nesse sentido.

Esses pensamentos podem parecer bem diferentes, mas são pensamentos que eu vejo com uma certa frequência com meus pacientes e muitas vezes são pensamentos equivocados que não condizem com a realidade.

É importante entender que os pensamentos disfuncionais são normais, ou seja, se você tem esse tipo de pensamento não quer dizer que tenha algo de errado com você, mas é preciso entender o porquê você tem esse tipo de pensamento e trabalhar para ressignifica lós.

Agora como podemos trabalhar em cima desses pensamentos?

Dois pontos que eu trabalho muito com meus pacientes são, buscar uma forma alternativa de enxergar a situação e também trazer a situação para a realidade, para o concreto.

Então vamos voltar ao exemplo que falei antes.

Quando pegamos os pensamentos de que: Que a pessoa não quer falar com você ou que a pessoa está chateada ou brava com você.

Podemos pensar, quais são as provas que você tem que esse pensamento possa ser real, ou que possa ser um pensamento falso?

A última vez que você falou com essa pessoa aconteceu alguma situação complicada, algum tipo de atrito que possa ter feito com que ela tenha ficado chateada ou brava com você?

Ou tudo correu normalmente?

Além disso podemos buscar interpretações alternativas, como por exemplo, será que essa pessoa pode estar ocupada, pode estar trabalhando, ou fazendo alguma atividade que no momento impossibilita ela de olhar o celular?

E até mesmo você pode se perguntar, isso já aconteceu outra vez?

No fim estava tudo certo?

Conclusão

Na maioria das vezes você acaba percebendo que tem mais provas contra seus pensamentos do que provas a favor.

Isso é uma prova clara de que aquele pensamento ou pensamentos são disfuncionais.

Então sempre que você tiver algum pensamento sobre uma situação que faça você se sentir incomodado, se sentir mal, tente analisar se aquele pensamento realmente faz sentido, ou se pode estar equivocado.

Caso você tenha dificuldade de fazer isso no começo, você pode pegar um papel e caneta e escrever, qual é a situação, o pensamento, a emoção e quais as provas a favor e contra esse pensamento.

Isso vai ajudar a você exercitar sua mente e treinar seus pensamentos para que cada vez fique mais fácil e automático você ressignificar os pensamentos.

Psicólogo Victor Luiz Gomes Konecsni

CRP: 06/163802

Entre em contato e agende uma sessão pelo link: www.victorpsicologotcc.com

victorpsicologotcc@gmail.com

Deixe uma resposta